Maputo - A vice-ministra dos Transportes e Comunicações, Manuela Rebelo, reconheceu, quarta-feira (29), durante visita às instalações da transportadora aérea estatal LAM a existência de dificuldades operacionais e estruturais.

Quatro das sete aeronaves da empresa estão sem voar devido a problemas de manutenção.

"A bandeira da LAM deve ser a segurança. Se o equipamento não reúne condições, por mais que seja um mínimo detalhe, é importante estar em terra, e primeiro resolver o problema para que garantamos que os nossos passageiros viagem seguro", disse Manuela Rebelo.

A ministra também reconheceu a existência de problemas estruturais na empresa. "Temos estado a constatar alguns problemas nos voos. Atrasos, adiamentos e alguma reclamação do nosso público-alvo, não porque o Governo não soubesse que a LAM tem alguns problemas", disse, tendo apontado a falta de equipamento como um obstáculo premente para a mais antiga operadora do espaço aéreo do país.

Sobre o mercado do espaço aéreo em Moçambique, Rebelo reiterou estar livre para que outras companhias aéreas explorem, bastando para o efeito seguir os procedimentos legais. "O nosso espaço aéreo está aberto", disse. AIM

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription