A Polícia moçambicana (PRM) suspendeu todo efetivo de agentes afetos à corporação na Ponta de Ouro, província de Maputo, acusados, pela população local, de extorquir turistas.

Segundo o porta-voz da PRM, Cláudio Langa,  uma outra equipa vai substituir aquele efetivo, enquanto decorrem as investigações para averiguar a veracidade dos factos.

“O Comando decidiu retirar todo o efetivo da Ponta de Ouro até se apurar a veracidade das queixas daquela população”, disse Langa.

A decisão do Comando-Geral foi tomada após um vídeo amador, que registava um momento em que a população bloqueava uma viatura da PRM, ter sido posto a circular nas redes sociais.

Segundo Langa, citando a população, os agentes da PRM pretendiam levar um turista à esquadra para, alegadamente, extorqui-lo, após este ter bloqueado a via, quando viu a sua viatura enterrada.

“Um grupo de turistas ficou com a viatura enterrada. A Polícia passou por ali e parou, porque a viatura estava bloquear a via. Eles pediram os documentos e o automobilista apresentou. Mas, no regresso da sua missão, os agentes pediram que o dono da mesma viatura seguisse com eles, mas a população não aceitou, tendo bloqueado a viatura da PRM”.

Langa esclareceu que “a população diz que a Polícia trata mal os turistas. Os turistas não visitam zonas onde a Policia os trata mal. Aqueles que são maltratados aqui, quando regressam aos seus países, informam aos colegas que Moçambique não é um bom local para turismo”.

Este não é o primeiro caso de agentes da Polícia moçambicana envolvidos em atos de corrupção. Vários vídeos foram postos a circular nas redes sociais registando momentos em que agentes da Polícia de Trânsito (PT) extorquiam automobilistas. Na sequência disso, agentes da PT foram expulsos da corporação.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription