Luanda - O Ministério do Ambiente e o da Hotelaria e Turismo seleccionaram 32 áreas protegidas, nas 18 províncias de Angola, para a promoção do ecoturismo, no quadro da diversificação da economia nacional.

A informação foi dada, em Luanda, durante o workshop sobre o Programa Nacional de Fomento do Ecoturismo nas Áreas Protegidas de Angola, promovido pelos ministérios do Ambiente e do Turismo.

Do número de áreas seleccionadas constam, entre outras, as Cavernas do Zau Evua, localizadas na província do Zaire, as Cachoeiras do Binga (Kwanza-Sul), as Cataratas do Ruacaná (Cunene), as Fendas da Tundavala e a Serra da Leba (Huíla), o Deserto do Namibe (Namibe), o Morro do Moco (Huambo), a Ilha do Mussulo, o Parque da Quissama e o Miradouro da Lua (Luanda).

Estão ainda, entre as áreas seleccionadas, o Parque Nacional da Cameia (Moxico, Leste), o Parque da Cangandala, as Pedras Negras de Pungo a Ndongo e as Quedas de Calandula (Malange), a reserva florestal do Golungo Alto (Kwanza Norte), entre  outras áreas que  figuraram da lista do concurso nacional das  "Sete Maravilhas de  Angola.

Estas áreas consideradas "protegidas", que incluem os parques nacionais, num total de 13, estão abertas ao investimento privado, quer de nacionais, quer estrangeiros.

A secretária de Estado da Biodiversidade e Áreas de Conservação do Ministério do Ambiente, Paula Francisco, disse na ocasião, que Angola possui condições "suficientes" para a promoção do ecoturismo, a julgar pelo os mais variados ecossistemas e habitats.

"Temos áreas de conservação com vários ecossistemas e habitats de que é possível fazer  um  trabalho, porque  temos  notado, nos últimos anos, um crescimento de turistas quer nacionais quer estrangeiros,  que procuram por  estes locais para lazer e não só", sublinhou Paula Francisco.

O Ministério do Ambiente, desde 2007, que tem recuperado e construído novas infra-estruturas nos 13 parques nacionais, tendo já investido 150 milhões de dólares norte-americanos disponibilizados pelo Orçamento Geral do Estado (OGE), além do apoio internacional, como de empresas petrolíferas e organismos do sistema das Nações  Unidas.

No encontro deste dia, em que participaram também empresários nacionais e estrangeiros, foi apresentada a Lei de Base do Turismo, o Plano Director do Turismo e suas linhas estratégicas para o fomento do ecoturismo e os termos de referencia  para o fomento do ecoturismo nas áreas protegidas em Angola.

Secretários do Estado de diversos sectores, empresários e sociedade civil deram o seu  contributo para que a  implementação do Programa Nacional de Fomento  do ecoturismo nas Áreas Protegidas seja uma realidade em Angola.

Lisboa - A Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), a maior feira de turismo que acontece em Portugal, regressa esta semana ao Parque das Nações, na capital portuguesa, numa edição que terá o Brasil como país convidado. O que significará que as dezenas de milhares de visitantes poderão conhecer em detalhe a diversidade de destinos turísticos que o Brasil tem para oferecer.

Nesta 28ª edição da BTL, os mais de 72 mil visitantes esperados terão a oportunidade de ficar a conhecer as principais atracções de cada Estado brasileiro, com muita diversidade de oferta turística, desde o sol e praia, sugestões culturais ou turismo de natureza.

Na BTL 2016, que irá decorrer de 2 a 6 de março (de quarta-feira a domingo), o Brasil irá estar representado com vários Estados, num espaço de exposição com uma área de mais de 1.500 metros quadrados.

Entre as entidades brasileiras que estarão esta semana na BTL estão a agência Mabtour, de Manaus, as empresas Players Business Consulting e Brazil Hospitality Group, de São Paulo, a revista Folha do Turismo Brasil e diversos hotéis, entre os quais os das cadeias portuguesas Pestana e Porto Bay.

Fátima Vila Maior, diretora de área de feiras da FIL responsável pela BTL, nota que "este ano o Brasil irá estar em grande destaque naquela que é maior feira de turismo realizada em Portugal".

"O Brasil continua a ser um destino privilegiado para os portugueses, mais ainda com a descida do Real, o que o torna mais económico e este ano teremos mais um bom motivo para o visitar. Refiro-me aos Jogos Olímpicos, que irão decorrer no Rio de Janeiro, de 5 a 21 de agosto. A Embratur já confirmou a presença da maioria dos Estados do Brasil, o que irá permitir uma grande variedade de produtos turísticos", refere Fátima Vila Maior.

"Além de ser uma participação importante para o público em geral e que conta sempre com muita animação, recordo que o Brasil também é uma forte aposta para a BTL no que respeita ao público profissional e em concreto ao programa de hosted buyers (compradores convidados), que terá uma oferta específica para o Brasil", acrescenta.

A 28ª edição da BTL – Feira Internacional de Turismo de Lisboa, promovida pela Fundação AIP, através da AIP – Feiras Congressos e Eventos, decorrerá na FIL, Parque das Nações, em Lisboa.

Madrid - A Organização Mundial do Turismo (OMT) manifestou otimismo com a retoma da confiança e a recuperação rápida do turismo no Egito. No fim de 2016, o Cairo irá acolher a Cimeira da OMT sobre o Turismo Urbano. O evento motivou a visita ao país do secretário-geral da agência, ocorrida esta semana.

Taleb Rifai expressou plena confiança no setor, em nota que destaca "fortes iniciativas " do país na área de comunicação com as autoridades e a opinião pública dos mercados de origem de visitantes.

Entre as questões em debate estão a segurança, o desbloqueamento do apoio das companhias aéreas e dos operadores turísticos e o incentivo à demanda de visitantes com a participação de operadores egípcios.

A queda dos rendimentos no setor teve início em 2011 devido a fatores como a revolução, a insurgência nos Montes Sinai e o aumento da violência.

Em 2013 o turismo rendeu menos de metade do valor atingido quando o setor estava no seu age em 2010, quando o país recebeu 14,7 milhões de turistas internacionais.

Cerca de US$ 13,6 mil milhões foram injetados à economia durante o período, pela indústria que é responsável por 10% dos empregos do país.

Rifai afirmou que não se deve esquecer que o Egito é "uma das maiores histórias de sucesso do turismo mundial".

Na última década, o número de visitantes praticamente triplicou, tal como as exportações geradas pelo turismo internacional. Por isso considerou que "o Egito é, e continuará a ser, um dos principais destinos do turismo apesar de todos os desafios."

A agência destaca o contributo do setor, considerado fundamental para o Produto Interno Bruto e também para o aumento de postos de emprego, das divisas e do investimento.

À comunidade internacional, o pedido da OMT é que apoie a recuperação da área turística egípcia como parte do "suporte para o futuro do país, do povo e para promover a paz e a estabilidade".

A visita de Taleb Rifai foi igualmente marcada pela sua participação na Conferência Turismo no Egito 2016 – Planeamento para o Crescimento.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription