Praia - A Autoridade Turística Central (ATC) de Cabo Verde lançou, segunda-feira (22), um plano de fiscalização ao setor do turismo, que abrangerá numa primeira fase uma centena de agências de viagens, alargando-se posteriormente aos hotéis e outros operadores turísticos.

O Plano Nacional de Fiscalização às Agências de Viagens arrancou na zona sul da ilha de Santiago e, durante dois meses, irá fiscalizar mais de uma centena de agências de viagens em nove ilhas do arquipélago, explica a ATC em comunicado.

A operação visa monitorizar a actividade das agências de viagens no país e verificar se respeitam a legislação do sector, nomeadamente, no que respeita aos alvarás de funcionamento, inscrição no registo nacional e recursos humanos, entre outros.

A ATC sublinha que as agências de viagem detêm um papel importante nos fluxos turísticos, e são o motor de excelência da procura de produtos turísticos cabo-verdianos.

Esta acção, segundo a autoridade, visa averiguar se as mesmas estão a cumprir todos os requisitos que a lei solicita para que estejam em funcionamento, e diminuir assim a informalidade neste sector.

O plano de fiscalização das agências de viagens integra um plano global de fiscalização a todos os operadores turísticos em Cabo Verde e aos prestadores de serviços individuais, nomeadamente guias turísticos, "como forma de garantir a qualidade do serviço" prestado aos turistas.

Luanda - Uma instituição dirigida à formação de quadros para o sector do turismo, o Instituto Turístico de Angola, deverá ser construído, este ano, na cidade do Luena, província do Moxico, região leste de Angola, informou segunda-feira o chefe de departamento provincial da Hotelaria e Turismo, Lutete Mariz.

Segundo o responsável que falava à Angop, a instituição projectada para ter 60 salas de aulas, tem o lançamento da primeira pedra previsto para o segundo semestre do ano em curso.

A construção do instituto visa, entre outros aspectos, formar recursos humanos nas áreas de gestão hoteleira e zonas turísticas, tendo em vista melhorar a qualidade dos serviços oferecidos.

Sublinhou o facto de o sector ter sido eleito como prioritário na estratégia de saída da crise e do processo do relançamento da diversificação da economia em curso no país.

Lutete Mariz disse esperar que a edificação do Instituto Turístico de Angola acelere a dinamização do crescimento do ecoturismo e contribua no crescimento da economia nacional.

Projectado para ter dez laboratórios, cozinhas e zonas de serviços, o futuro Instituto Turístico de Angola estará situado na zona de expansão académica do Luena.

Lisboa - O turismo brasileiro em Portugal caiu de forma acentuada no final do ano passado, e o mês de dezembro foi o mais negativo, confirmando a tendência de menor procura dos destinos lusos por parte dos turistas brasileiros.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), em dezembro o número de dormidas de turistas brasileiros nos hotéis portugueses ficou 20,9% abaixo do verificado em dezembro de 2014. Em novembro a queda tinha rondado os 19% e em outubro a descida em termos homólogos tinha sido de 10%.

No último mês de 2015 apenas caíram dois mercados emissores entre os 12 principais países de origem dos turistas estrangeiros: as dormidas de cidadãos suecos recuaram 1,3%; as de brasileiros baixaram os referidos 20,9%.

Contabilizando a totalidade de 2015, o ano foi um dos melhores de sempre para a faturação dos hotéis portugueses, e quase todos os grandes mercados emissores tiveram maior procura do destino Portugal. Entre esses 12 mercados emissores, o Brasil foi o único com sinal negativo: o número de dormidas de turistas brasileiros em hotéis portugueses no ano passado ficou 3,3% abaixo do verificado em 2014.

Em termos acumulados, em 2015 os países que tiveram maior crescimento nas dormidas nos hotéis portugueses foram os Estados Unidos da América (18,1%), a Itália (17,2%) e a Suíça (também 17,2%).

Segundo o INE, na hotelaria portuguesa "a evolução dos proveitos foi claramente positiva". As receitas em dezembro subiram 14,6%, para 118,7 milhões de euros. A faturação no conjunto de 2015 cresceu 13,1%, para 2,48 mil milhões de euros.

As dormidas de turistas portugueses nos hotéis nacionais em 2015 aumentaram 5,3%, enquanto as de turistas estrangeiros cresceram 7,3%. A taxa média de ocupação dos hotéis lusos no ano passado ficou em 46,1%, mais 2,1 pontos percentuais do que em 2014.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription