Implantado em 1975, após a independência de Angola, o Museu das Forças Armadas está instalado na Fortaleza de São Miguel. Ver mais O acervo do museu inclui aviões bimotores, carros de combate, armas diversas e artefactos utilizados durante a Guerra da Independência e a Guerra Civil, destacando-se um busto do líder da guerra e primeiro Presidente da República de Angola, Agostinho Neto.

No museu também se podem encontrar diversas estátuas que ornamentavam avenidas e praças da Luanda colonial e que foram retiradas após a independência, nomeadamente a de Diogo Cão, o primeiro europeu a pisar solo angolano, a de Paulo Dias de Novais, o fundador da cidade de Luanda, a de Vasco da Gama, o descobridor do caminho marítimo para a Índia, e a de Luís de Camões, o maior poeta da Língua Portuguesa, entre outros.

O Museu Nacional da Escravatura foi criado em 1997 pelo Instituto Nacional do Património Cultural, com o objectivo de dar a conhecer a história da escravatura em Angola.

A sua sede é na Capela da Casa Grande, templo do século XVII, onde os escravos eram baptizados antes de embarcarem nos navios negreiros que os levavam para a América.

O museu, que reúne e expõe centenas de peças utilizadas no tráfico dos escravos, está instalado na antiga propriedade de Álvaro de Carvalho Matoso, capitão-mor dos presídios de Ambaca, Muxima e Massangano e um dos maiores comerciantes de escravos da costa africana na primeira metade do século XVIII. Falecido em 1798, os seus familiares e herdeiros continuaram a exercer o negócio da escravatura no mesmo local, até 1836, quando um decreto de D. Maria II de Portugal proibiu as colónias portuguesas de

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription