A companhia aérea Cabo Verde Airlines (CVA) concluiu “com sucesso” a renovação do certificado do Programa de Auditoria de Segurança da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) pela sétima vez consecutiva.

“Esta renovação mostra o quão consistente e resiliente são os sistemas de segurança da CVA, o que ganha ainda maior relevância numa altura em que estamos a expandir a nossa operação e a adicionar novas rotas. Queremos aproximar a África, a Europa, a América do Norte e a América do Sul, sempre em segurança”, referiu Jens Bjarnason, presidente executivo da Cabo Verde Airlines, citado em comunicado da companhia.

Fundado em 2003, o Programa de Auditoria de Segurança (IOSA) é reconhecido e aceite internacionalmente, no âmbito da avaliação da gestão operacional e controlo dos sistemas de segurança das companhias aéreas.

A certificação é válida por dois anos, sendo esta a sétima renovação consecutiva da companhia aérea cabo-verdiana, que desde novembro de 2009 é membro ativo da IATA.

A Cabo Verde Airlines resulta da reestruturação da TACV, em que em março o Estado vendeu 51% à Lofleidir Cabo Verde, uma empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF e em 30% por empresários islandeses com experiência no setor da aviação.

A TACV assegurava voos domésticos, que foram abandonados no âmbito do processo de privatização, passando as ligações aéreas entre ilhas a serem asseguradas apenas pela companhia Binter, que mudou de nome para Transportes Interilhas de Cabo Verde (TICV).

A companhia aérea cabo-verdiana retomou os voos domésticos, entre ilhas, através de uma parceria com as portuguesas Lease-Fly e Newtour, garantindo assim a conectividade ao ‘hub’ na ilha do Sal, de onde a Cabo Verde Airlines opera grande parte dos voos internacionais.

Os restantes 49% do capital social da antiga TACV está a ser vendido aos trabalhadores e aos emigrantes cabo-verdianos (10%) e aos investidores institucionais (39%), num processo de privatização que o Governo prevê concluir no início do próximo ano.

O embaixador da Nigéria em Angola, Adesesan Olatunde, destacou hoje (26) a importância da ligação aérea entre Luanda e Lagos, para o intercâmbio cultural, económico e político entre os dois países.

O diplomata nigeriano falava à imprensa, na capital angolana, após audiência que lhe foi concedida pelo Presidente da República, João Lourenço, a quem apresentou cumprimentos de despedida, no término da missão de dois anos e três meses em Angola.

Com três frequências semanais, a TAAG, Linhas Aéreas de Angola, começou a voar, desde 16 deste mês, para Lagos (capital económica da Nigéria), transportando em média/semanal 360 passageiros, entre angolanos e estrangeiros.

Adesesan Olatunde afirmou que, nos últimos anos, as relações entre Angola e a Nigéria “registaram avanços significativos”.

Os dois países mantêm relações de cooperação nos domínios diplomático, económico, comercial e cultural.

De acordo com um comunicado de imprensa da companhia aérea Cabo Verde Airlines, as cores do novo avião foram inspiradas nas paisagens naturais da ilha de Santo Antão.

A terceira aeronave da companhia aérea cabo-verdiana Cabo Verde Airlines (CVA), “Fontainhas”, um Boeing 757-200 com matrícula nacional D4-CCH, já se encontra em Cabo Verde e efectuou o primeiro voo de e para a ilha do Sal.

De acordo com um comunicado de imprensa da companhia aérea Cabo Verde Airlines, as cores do novo avião foram inspiradas nas paisagens naturais da ilha de Santo Antão, que tem como pretensão ser uma mistura suave das pessoas, das casas e da cultura cabo-verdiana.

“Todos os aviões da companhia seguirão o mesmo modelo de inspiração de cada ilha com um estilo tricolor. A nova palete de cores dentro e fora dos aviões mostra que as mudanças vêm de dentro, na busca de melhor servir os clientes da companhia aérea e levar Cabo Verde para o mundo e o mundo até Cabo Verde”, lê-se n a nota de imprensa.

O “Fontainhas” foi baptizado na sequência de uma votação pública na rede social Facebook, em que os seguidores da CVA escolheram, entre três belezas naturais da ilha de Santo Antão apresentadas pela empresa, a aldeia de Fontainhas.

Os primeiros aviões com o novo libré, “Praia de Santa Maria” e “Baía de Tarrafal”, foram baptizados segundo o mesmo processo, o de votação de público nas redes sociais.

Ainda de acordo com a CVA haverá mais votações abertas no Facebook dedicadas a outras ilhas e suas belezas naturais.

O “Fontainhas” é um Boeing 757-200, com16 lugares em classe executiva e 180 em classe económica.

A companhia Cabo Verde Airlines opera, actualmente, com cinco Boeing 757-200, três em ‘dry lease’ e dois em ‘wet lease’, e pretende receber mais um até final de Janeiro de 2020 para substituir um dos aviões em ‘wet lease’.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription