A empresa estatal de transporte aéreo  Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) transportou mais quase 17.500 passageiros (mais 6,6%) de janeiro a setembro deste ano do que no período homólogo de 2018, anunciou a empresa em comunicado.

Cerca de 415.700 passageiros “foram transportados nos voos da LAM, representando um crescimento em 6,6% em relação ao período homólogo de 2018, em que foram transportados 398.208 passageiros”.

A LAM voa para todas as províncias do país e liga Moçambique a capitais vizinhas como Joanesburgo (África do Sul), Dar-Es-Salaam (Tanzânia) e Nairobi (Quénia).

A companhia anunciou também melhorias ao nível da pontualidade com 83% dos voos no mesmo período a respeitarem os horários, uma melhoria de 11% em relação ao período homólogo de 2018.

A par destes indicadores, “a companhia está em fase avançada para a introdução de mais um Boeing 737-700 e dois Bombardier Q400 para consolidar a sua frota”. Com a finalização deste processo, a LAM passará a contar com três aeronaves do tipo Boeing 737-700 e mais duas do tipo Bombardier Q400″, conclui.

João Carlos Pó Jorge, diretor-geral da LAM, disse recentemente à Lusa, à margem de um evento em Lisboa, que a companhia vai investir até 120 milhões de dólares (109 milhões de euros) em novos aviões e intensificar a presença nas rotas africanas, querendo ligar África do Sul a Lisboa.

A companhia volta ainda a voar para a Europa, via Lisboa, a partir de março de 2020, em cooperação com a companhia aérea privada portuguesa Hi Fly.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription