O ministério angolano da Hotelaria e Turismo e a Direção dos Serviços de Turismo da Região Administrativa Especial de Macau (China) assinaram, em Macau, um Memorando de entendimento que visa enquadrar e definir as diversas modalidades de cooperação na área do turismo.

Macau - O ministério angolano da Hotelaria e Turismo e a Direção dos Serviços de Turismo da Região Administrativa Especial de Macau (China) assinaram, quarta-feira (1), em Macau, um Memorando de entendimento que visa enquadrar e definir as diversas modalidades de cooperação na área do turismo.

O memorando, aasinado pelas diretoras nacional do Gabinete do Intercâmbio Internacional do Ministério de Hotelaria e Turismo de Angola, Rosa Cruz, e dos Serviços de Turismo do Governo de Macau, Maria Helena de Sena Fernandes, contempla também a troca de informações, implementação de políticas para o sector do turismo, de experiências em matéria de planeamento, gestão e certificação de actividades turísticas.

No protocolo consta igualmente a promoção de cooperação e parcerias entre pequenas e médias empresas turísticas de ambas as partes e apoio à organização de visitas promocionais de operadores, agentes de viagens e hoteleiros.

Testemunharam a assinatura do documento, o embaixador extraordinário e plenipotenciario de Angola na China, João Garcia Bires, o diplomata, André Panzo, director para a Ásia e Oceania do Ministério das Relações Exteriores, Belarmino Barbosa, delegado de Angola no Fórum Macau, entre outros diplomatas da missão de Angola na China.

O documento foi assinado à margem da décima Reunião Ordinária do Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, realizada até esta quarta-feira em Macau, na qual o seu secretário-geral, Chang Hexi, apelou ao aperfeiçoamento e divulgação da organização durante o ano de 2015.

"O Fundo de Cooperação vai aperfeiçoar e melhorar a divulgação e a forma de comunicação com os países de língua portuguesa uma vez que há muitos empresários ligados ao mundo de língua portuguesa que desconhecem a existência do fundo", disse Chang Hexi, no final da 10ª Reunião Ordinária do Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

No encontro, foi ainda abordado a realização de um fórum ao nível de vice-ministros entre a China e os países de língua portuguesa, em que participem igualmente os governadores das províncias chinesas, para que haja um contacto mais directo, e encontro de jovens empresários dos respectivos "para estimular os seus negócios."

O Fórum de Macau pretende utilizar cada vez mais Macau como plataforma destinada a reforçar e desenvolver áreas de cooperação. Para este ano foi anunciado a realização de colóquios e acções de formação nas áreas do turismo, educação, convenções e exposições e seminários específicos para empresários.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription