Lisboa - O turismo brasileiro em Portugal caiu acentuadamente em setembro, com o número de dormidas dos cidadãos brasileiros nos hotéis lusos a recuar para 136.602, menos 16,6% do que em setembro do ano passado, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O Brasil foi o único país entre os dez maiores mercados emissores de turistas estrangeiros para Portugal que registou uma queda em setembro. Ainda assim, o Brasil continuou a ser o sexto maior mercado de turistas internacionais para os hotéis portugueses.

Este ano o mês em que Portugal teve mais turismo brasileiro foi maio, com mais de 152 mil dormidas. O pior mês foi março, com menos de 73 mil dormidas de cidadãos oriundos do Brasil. Em 2014 o melhor mês tinha sido setembro e o pior registo mensal foi fevereiro.

O turismo brasileiro em Portugal, que em agosto já tinha caído quase 11%, continua, apesar da queda de setembro, a ter um ano ligeiramente superior aos números de 2014.

Segundo o INE, de janeiro a setembro a hotelaria portuguesa contabilizou 1,04 milhões de dormidas de turistas brasileiros, mais 0,6% do que nos primeiros nove meses do ano passado.

Mas este crescimento para a atividade turística acumulada desde o início do ano está longe de acompanhar a tendência de subida da procura turística internacional pelos hotéis portugueses.

Globalmente, o turismo estrangeiro em Portugal nos primeiros nove meses do ano gerou 27,7 milhões de dormidas, mais 6,8% do que em 2014. O turismo de cidadãos portugueses nos hotéis nacionais cresceu 5,2%, para 11,9 milhões de dormidas, no mesmo período.

De acordo com o INE, o maior mercado de turistas estrangeiros continuou em setembro a ser o Reino Unido, que gerou 1,08 milhões de dormidas nos hotéis portugueses naquele mês, com um crescimento homólogo de 7,9%. Alemanha, Espanha, França e Holanda são outros países com grande relevância nas contas dos hotéis portugueses.

O INE indica ainda que em setembro os proveitos dos hotéis lusos ascenderam a 297 milhões de euros, mais 14,7% do que no mesmo mês do ano passado. Em termos acumulados, de janeiro a setembro a hotelaria portuguesa faturou 2 mil milhões de euros, o que corresponde a um crescimento homólogo de 12,5%.

A taxa de ocupação dos hotéis do país em setembro foi de 59,1%, mais 1,7 pontos percentuais do que em setembro do ano passado. No conjunto dos primeiros nove meses de 2015 a taxa de ocupação é de 49,2%, dois pontos percentuais acima da verificada em igual período de 2014.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription