Lisboa - A época balnear começou domingo (01) em Cascais, na região metropolitana de Lisboa. Até 15 de junho todas as praias vigiadas estarão "abertas", com 4.100 nadadores salvadores, espaços que devem ser preferidos aos 350 quilómetros sem vigilância, aconselha o Instituto de Socorros a Náufragos.

"A época balnear começa por regiões, isto é, a primeira região do país a começar a época balnear foi Cascais" e, a partir de agora, "progressivamente até dia 15 de junho, vão abrir o resto das praias a nível nacional, havendo a abertura da maioria a 01 de junho", disse o presidente do Instituto, Nuno Leitão, citado pela Agência Lusa.

"A nível nacional, temos cerca de 1.250 unidades balneares de jurisdição marítima, o que corresponde a uma exigência de nadadores salvadores na ordem de 4.100", em plena época balnear, relatou.

O presidente do Instituto disse que Portugal tem "cerca de 250 quilómetros de praias vigiadas e uma extensão de praia não vigiada de cerca de 350 quilómetros".

A data de abertura da época balnear em cada concelho é proposta pela respetiva autarquia consoante as condições meteorológicas da região e depois publicada em portaria conjunta, dos ministérios do Ambiente e da Defesa, o que, referiu Nuno leitão, "deverá ocorrer eventualmente esta semana".

"Compete às autarquias, junto da Agência Portuguesa do Ambiente, proporem os períodos de época balnear, no final de cada ano, para [definição de] toda a parte de monitorização de qualidade das águas, articulação com os concessionários e com as infraestruturas camarárias [de modo a que] possam abrir nessa altura específica", resumiu o responsável.

Assim, as praias do sul do país abrem a época balnear mais cedo, como Cascais que marcou o início hoje, ou Albufeira que marcou para 15 de maio a abertura oficial, mas a norte fica agendada para mais tarde.

"A maioria das praias a norte da Ericeira vão abrir a partir de 15 de junho, data a partir da qual todas as praias [vigiadas] a nível nacional ficam com obrigatoriedade" de ter os nadadores salvadores para garantirem a assistência balnear aos banhistas que frequentam esses espaços, explicou o presidente do Instituto de Socorros a Náufragos.

Nas regiões autónomas, a maior parte das praias abrem a época balnear a 01 de junho.

Um dos conselhos repetidos pelo Instituto de Socorros a Náufragos é que os banhistas devem escolher praias vigiadas, que garantem assistência por pessoal qualificado e indicações sobre o estado do mar e os perigos que representa.

Visando reduzir o risco para aqueles que preferem frequentar praias não vigiadas, a Autoridade Marítima Nacional tem projetos com entidades privadas e reforça a vigilância nesses 350 quilómetros e vai desenvolver campanhas de sensibilização, além de dar formação aos surfistas para "serem uma mais-valia no que respeita a salvamentos".

No ano passado, salientou o responsável, em áreas não vigiadas, foram efetuados cerca de 80 salvamentos por surfistas que estavam na praia e "foram o único apoio que os banhistas tiveram ao frequentar áreas não vigiadas".

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription