Maputo - O ministro da Cultura e Turismo, Silva Dunduro, inaugurou, segunda-feira (17), em Maputo, a Conferência Internacional de Investimento em Turismo, que visa discutir políticas públicas que consolidem o turismo como vector de desenvolvimento económico do país.

O encontro, cujo lema é "Turismo, o Factor Dinamizador do Crescimento Sócio-Económico", no âmbito da IV Edição do "Descubra Moçambique" – Feira Internacional do Turismo, visa também incentivar o investimento na actividade turística, assim como promover o debate sobre as melhores formas de valorização de ideais que possam contribuir para o desenvolvimento do turismo, informa a agência moçambicana AIM.

Discursando na sessão de abertura do encontro, Dunduro disse que o debate a volta dos temas a serem arrolados durante a conferência servirão de alavanca para uma melhor coordenação de acções entre o governo e o sector privado, a chave para o desenvolvimento do turismo no país.

"As conferências de turismo são espaços destinados ao encontro entre diferentes segmentos da sociedade com interesse de impulsionar esta actividade económica que é das mais dinâmicas da sociedade contemporânea", disse o ministro.

O titular da pasta do turismo disse, por outro lado, que a conferência constitui a forma que o governo moçambicano continuará a desenvolver para que o sector privado seja mais actuante e se sinta parte integrante das políticas públicas que favoreçam a redução das desigualdades sociais no país.

O turismo, conforme dados da Organização Mundial do Turismo (OMT), detém 9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) mundial e um em cada 11 postos de emprego no mundo relaciona-se com a atividade.

Segundo Dunduro, o turismo mundial representa 1.5 trilião de dólares norte-americanos em exportações anualmente e movimenta cerca de 1.1 bilhão de chegadas internacionais. Ou seja, o turismo é a principal engrenagem para a deslocação de pessoas.

Na sua descrição acerca do país, Dunduro disse que o país possui uma costa com cerca de 2700 quilómetros de extensão com praias exóticas. No interior contém parques e reservas nacionais ricos em floresta e fauna bravia.

"Para melhor aproveitamento desta rica diversidade de produtos, é necessário discutirmos neste tipo de fórum estratégias do seu desenvolvimento como pacotes específicos", disse o ministro, acrescentando que o governo encoraja a realização de mais conferências deste tipo no país e na região.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription