O Governo cabo-verdiano formaliza hoje (01) a privatização dos Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV), através da venda de 51% das ações à Lofleidir Cabo Verde, empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF e em 30% por empresários islandeses.

Em comunicado divulgado esta quarta-feira, o executivo cabo-verdiano recordou que a privatização dos TACV foi assumida “como uma das prioridades do atual Governo da República de Cabo Verde”.

“Diante da já conhecida situação financeira deficitária da companhia aérea de bandeira nacional há anos e visando colocá-la em boas condições para a sua privatização, o Governo decidiu avançar com um ambicioso programa de reestruturação da empresa em maio de 2017”, lia-se no comunicado.

O contrato será assinado hoje à tarde, pelas 16:00 locais, na Sala de Conferências do Palácio do Governo, num ato presidido pelo primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva.

O documento adianta que em agosto desse ano “deu-se início a uma parceria entre o Estado de Cabo Verde e o Grupo Icelandair, um grupo com experiência internacional reconhecida e com ‘know-how’ em matéria de aviação comercial”.

Para o Governo cabo-verdiano, a assinatura do contrato de compra e venda de 51% das ações é “um momento histórico para Cabo Verde que assegura a continuidade” da “companhia de bandeira e, certamente, um importante passo para a materialização do ‘Hub’ aéreo que estará baseado na ilha do Sal”.

“O país terá um maior número de conexões aéreas com o mundo para suportar o desenvolvimento do turismo, bem como uma maior proximidade entre Cabo Verde e a nossa comunidade de emigrantes”, lê-se no comunicado.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription