Brazzaville - A companhia aérea Equatorial Congo Airlines (ECAIR) vai inaugurar, a 22 de março, uma ligação aérea entre as capitais congolesa e senegalesa, Brazzaville e Dakar, respetivamente, via Bamako, capital maliana, anuncia um comunicado da transportadora.

Segundo a diretora-geral da ECAIR, Fatima Beyina Moussa, a inauguração destes dois novos destinos para Bamako e Dakar vai reforçar a sua presença no continente.

A ligação a partir de Brazzaville vai responder à procura crescente da clientela, com três frequências por semana (terças, quinta e domingos) , ao passo que, nas partidas de Dakar ou Bamako, a ligação será garantida às quartas, sextas e segundas feiras.

Os voos serão asseguradas por um Boeing 757-200 de 148 assentos, até 1 de junho próximo, quando o aparelho será substituído por um Boeing 737-700 de 124 assentos.

Depois da ligação, no plano continental, dos destinos de Cotonou (Benin), Doualá (Camarões), Libreville (Gabão) e Kinshasa (RD Congo), a abertura das linhas de Bamako e de Dakar marca uma etapa crucial e estratégica na fase de crescimento da ECAIR.

ECAIR é uma companhia nacional congolesa, criada em 2011, que emprega perto de 400 funcionários.

Joanesburgo - A companhia aérea sul-africana South African Airways (SAA) anunciou ter retomado o seu serviço direto num voo diário de Joanesburgo (África do Sul) para o aeroporto internacional John F. Kennedy de Nova York (Estados Unidos).

Enquanto o voo diário da SAA de Nova York para Joanesburgo era direto há vários anos, o voo de regresso tinha uma escala de uma hora em Dakar (Senegal) durante a época baixa dos meses de inverno.

Devido à popularidade desta rota, o serviço entre Nova York e Joanesburgo será doravante direto nos dois destinos durante todo o ano. Os voos entre as duas cidades são efetuados por um Airbus A340-600.

No entanto, a SAA anunciou que prevê reduzir o seu pessoal no quadro do relançamento das suas atividades.

O diretor-geral adjunto da SAA, Nico Buzuidenhout, indicou que é essencial assegurar uma "relativa estabilidade" para a companhia aérea que conta cerca de 12 mil empregados.

Ele prometeu igualmente que a empresa irá poupar 60 milhões de dólares  anualmente, encerrando os voos diretos não lucrativos para Pequim (China) e Mumbai (Índia) a partir de Joanesburgo.

No mês passado, a SAA anunciou que as suas perdas anuais duplicaram para US$ 260 milhões de dólares e que estava "tecnicamente falida". Panapress

As ilhas Maurícias deverão acolher um total de 1.1 milhão de turistas em 2015, ou seja, um aumento de 5,9 por cento em relação a 2014. A França continua a ser o principal emissor turístico para o arquipélago do Oceano Índico.

Port Louis - As ilhas Maurícias, no Oceano Índico, deverão acolher um total de 1.1 milhão de turistas em 2015, ou seja um aumento de 5,9 por cento em relação a 2014, segundo o Gabinete Central de Estatísticas.

No seu último boletim, divlgado esta quinta-feira, o Gabinete de Estatísticas indicou que apesar da diminuição, na ordem de 0,4 porcento, a França continua a ser o principal emissor turístico para as ilhas Maurícias com uma contribuição de 23,5 porcento das chegadas turísticas à ilha em 2014.

Durante o mesmo ano, as chegadas turísticas aumentaram 5,6 porcento nas ilhas Maurícias, comparativamente a 6,9 porcento para as Maldivas e 19,8 porcento para o Sri Lanka, enquanto as ilhas Seicheles registaram um crescimento de apenas 1,0 porcento.

Segundo o Banco das Maurícias, as receitas turísticas aumentaram 9,2 porcento de 40 biliões de rupias (cerca de 1,35 bilhão de dólares americanos) em 2013 para 44,3, bilhões de rupias (cerca de 1,47 bilhões de dólares americanos) em
2014.

As receitas por turista aumentaram 44 porcento, passando de 40.839 rupias (1.361 dólares americanos) para 42.642  rupias (1.421 dólares americanos) graças principalmente a um aumento de 4,6 porcento das chegadas turísticas.

Até 31 de dezembro de 2014, 115 hotéis, que empregam um total de 28.718 pessoas estavam operacionais. A taxa de ocupação dos quartos era em média de 65 porcento, ou seja, 2 porcento mais do que em 2013, enquanto a taxa de ocupação de camas era de 58 porcento em 2014 contra 55 porcento em 2013.

No mesmo ano, 18 navios de cruzeiros com 24.105 viajantes, dos quais 2.496 turistas, 13.165 excursionistas e 8.444 membros de tripulação escalaram as ilhas Maurícias. Panapress

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription