Com a medida, o Governo cabo-verdiano pretende aumentar a competitividade no setor do turismo e duplicar o número de turistas que visitam o país, que é de cerca de 700 mil por ano.

O visto de curta duração para entrar em Cabo Verde deixa de existir a partir de hoje para cidadãos de 32 países europeus.

Nesta lista estão todos os 28 países que fazem parte da União Europeia – o Reino Unido está em processo de saída – mais outros quatro que não fazem parte da União, nomeadamente Suíça, Noruega, Islândia e Lichtenstein.

O governo anunciou já a intenção do Governo de alargar a isenção de vistos de entrada no país ao Mónaco, São Marino e Andorra.

Com a medida, o Governo cabo-verdiano pretende aumentar a competitividade no setor do turismo e duplicar o número de turistas que visitam o país, que é de cerca de 700 mil por ano.

A isenção de vistos de entrada em Cabo Verde para cidadãos europeus foi anunciada em abril de 2017, pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, para vigorar a partir de maio do mesmo ano.

Foi várias vezes adiada, uma delas a pedido dos operadores turísticos, e também porque teria de ser criada uma plataforma informática para permitir o registo prévio dos visitantes que se deslocam a Cabo Verde.

Entretanto, o Governo criou uma Taxa de Segurança Aeroportuária (TSA), que entra também hoje em vigor, e que é “uma contrapartida paga pelos serviços prestados aos passageiros do transporte aéreo destinada à cobertura dos encargos respeitantes aos meios humanos, materiais e sistemas de informação, afetos à segurança fronteiriça e aeroportuária, para a prevenção e repressão de atos ilícitos e para a promoção do sistema de segurança na aviação civil”.

Terão de pagar esta taxa todos os cidadãos estrangeiros que desembarquem em Cabo Verde ou estejam em viagem entre as ilhas, e os cabo-verdianos, nas deslocações inter-ilhas.

Ficam isentos do seu pagamento os titulares de passaporte cabo-verdiano, as crianças com menos de dois anos, os passageiros que, incluídos em missões oficiais, desembarquem em aeronaves ao serviço privativo do Estado de Cabo Verde ou Estado estrangeiro, em regime de reciprocidade.

Estão igualmente isentos os passageiros das aeronaves que efetuem aterragens “por motivo de retorno forçado ao aeroporto, justificado por motivos de ordem técnica ou meteorológica, ou outras de força maior, devidamente comprovadas”, assim como os passageiros em trânsito nos aeroportos nacionais.

Esta TSA custa, nos voos nacionais, 1,50 escudos cabo-verdianos (cerca de 1,36 euros) a todos os passageiros (nacionais e estrangeiros), os quais são cobrados no momento da emissão dos bilhetes de passagem.

Para os voos internacionais, o valor da taxa é de 3.400 escudos cabo-verdianos (cerca de 30,86 euros) para os passageiros estrangeiros, cobrados através de uma plataforma ‘web’ de pré-registo de passageiros estrangeiros.

Neste momento, considerado época alta na ilha, em termos de turismo, a taxa de ocupação nos diferentes empreendimentos turísticos é de 100%.

A ilha do Sal está com cerca de 12 mil turistas estrangeiros na quadra festiva, desde nórdicos, ingleses, alemães e franceses, entre outras nacionalidades, permitindo uma taxa de ocupação de hotéis a 100 por cento (%).

Neste momento, considerado época alta na ilha, em termos de turismo, a taxa de ocupação nos diferentes empreendimentos turísticos é de 100%, estimando-se que o número de clientes na ilha deve rondar os 12 mil visitantes, à procura de sol e praia e Reveillon diferente.

Numa ronda pela cidade turística de Santa Maria, a Inforpress pôde constatar que, além dos hotéis, todos os locais de hospedagem, residenciais e pensões estão, igualmente, preenchidos, não só por turistas, mas também por cabo-verdianos que escolheram a ilha do Sal para outra experiência de passagem de ano.

Nesta medida, os diferentes hotéis, Odju D´Água, Belorizonte, do Grupo Oásis, Riu Funaná, Lana, Dunas Meliã, Morabeza, Hilton, entre outros hotéis daquela cidade, todos preenchidos, aguardam os visitantes com um menu especial de Reveillon, à base de peixe e marisco, sobretudo, jantar dançante, fogo de artificio e muita animação.

O dono do hotel Odjo d’Agua, António Sousa Lobo, ou Patone, como é mais conhecido, disponível como sempre, segundo o qual o seu empreendimento está completamente cheio, tem preparado um jantar especial de passagem de ano, com música ao vivo para 220 clientes.

Desejando um feliz fim de ano a todos, Patone augura, um melhor ano de 2019, com “muita chuva”, e que o Governo, conforme disse, dispense “melhor atenção e apoio” ao empresariado nacional.

Atendendo à movimentação de turistas, acrescentando-se à população residente, de mais de 30 mil habitantes, significa mais serviços a nível de recolha de lixo, água, eletricidade, segurança, entre outras questões.

Conforme alguns operadores económicos, em conversa à Inforpress, aspectos que deverão ser cada vez mais melhorados, tendo em conta o fluxo de turistas que vem ao Sal, especialmente, já que o país tornou-se, referem, uma das opções de férias dos europeus e não só.

À semelhança dos anos anteriores, na noite de 31 de Dezembro para 01 de Janeiro os salenses poderão partilhar a passagem de ano com os visitantes, com animação na rua principal de Santa Maria, a partir da 01:00 até às 03:00.

Por outro lado, para garantir maior segurança e tranquilidade aos cidadãos, a polícia vai estar presente nesta quadra festiva com 200 homens no terreno, e a nível do saneamento uma equipa, à semelhança do ano passado, já está, igualmente, preparada para fazer a limpeza das urbes, na recolha de sujeiras resultantes da farra.

Com público esperado de 2,7 milhões de pessoas, o esquema operacional para o Réveillon de Copacabana terá reforço em todos os setores da prefeitura, como segurança, engenharia de tráfego, transporte coletivo, saúde e assistência social. 

Como nos anos anteriores, o bairro será fechado para o tráfego de carros com antecedência. Este ano, o horário para circulação, inclusive de carros de moradores de Copacabana, foi prorrogado em meia hora, até as 19h30. Ônibus e táxis poderão desembarcar passageiros até as 22h.

A recomendação para quem for curtir o show pirotécnico ou as atrações dos nove palcos é utilizar o metrô, que venderá os cartões exclusivos para o dia 31 até amanhã (28). Após as 22h, os ônibus que saírem do centro ou da zona norte deixarão os passageiros na Enseada de Botafogo e os que seguem da zona oeste e da Barra da Tijuca param em Ipanema, mesmo local de embarque para o retorno após a meia-noite.O coordenador de operações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), Joaquim Diniz, diz que a área de lazer em Copacabana, Ipanema e Leblon vai funcionar durante todo o dia 31 de dezembro e 1º de janeiro, com o fechamento de uma pista das avenidas Atlântica e Vieira Souto para os carros.“A pista junto aos prédios funciona normalmente. Em Copacabana a gente inverte a pista, em Ipanema e Leblon a gente não inverte. Vai funcionar até as 19h30 no sentido em direção à Avenida Niemeyer. Às 19h30 a gente faz a inversão, porque é quando começam a chegar os ônibus do terminal. Às 5h volta ao normal”.

Limpeza

O responsável pelo Controle Urbano na Secretaria de Ordem Pública, Eduardo Furtado, explicou que a operação para a virada do ano já começou, com rotinas mais intensas na orla da zona sul, e que vão aumentar a partir de domingo.

“Na noite do dia 30 começamos com a Operação Tatuí, para retirar mercadorias enterradas na areia da praia, e iremos até as 19h do dia primeiro. Atuaremos com três equipes no dia 30, cinco no dia 31 e uma base de triagem, com esforço para a entrega da cidade em seu estado de normalidade já no dia 1º”.

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) disse que é esperado aumento de 15% na produção de resíduos este ano. No ano passado, foram retirados de Copacabana 285 toneladas de resíduo, sendo 41 toneladas recicláveis. Este ano, serão colocados 60 contêineres chamados de “laranjão” na orla. Segundo a Comlurb, os 40 utilizados no ano passado facilitaram a limpeza, pois muitas pessoas depositaram seu lixo neles. A expectativa é que a orla seja entregue limpa às 10h do dia primeiro, com equipes atuando no local a partir das 20h do dia 31.
Segurança e saúde

A Guarda Municipal vai trabalhar com efetivo 67% maior do que no ano passado, com um total de 1.774 guardas. A comandante da Guarda Municipal, inspetora Tatiana Mendes, disse que, após cinco anos de proibição pelo Ministério Público, os guardas utilizarão pistolas de eletrochoque durante o réveillon. Duas mil armas foram adquiridas em outubro e estão em uso pela corporação.

“É importante porque mantém a integridade do guarda municipal e também daquele que cometeu a ilicitude, porque, por segundos, ele imobiliza a pessoa, então tira ele do cenário e dá continuidade normal.”.

A Secretaria Municipal de Saúde montará quatro postos médicos na orla de Copacabana, com um total de 44 leitos e 44 poltronas de hidratação, além de 40 ambulâncias. Estarão de plantão com 40 médicos, 20 enfermeiros e 40 técnicos de enfermagem nos postos e 32 médicos, 32 enfermeiros e 8 técnicos de enfermagem nas ambulâncias. No ano passado, foram feitos 657 atendimentos e 58 remoções durante a festa.

Turismo

A ocupação nos hotéis está em 85% em Copacabana e 91% no Flamengo. O diretor de Atendimento ao Turista da Riotur, Maurício Werner, disse que o posto de atendimento da Rua Hilário de Gouveia vai fechar às 20h, mas pode ser procurado pelos turistas para comprar passeios e, como novidade, foi montada no local uma loja de produtos licenciados.

A queima de fogos vai ter dez balsas, com um total de 16,9 toneladas de fogos e trilha sonora de João Brasil. A prefeitura promete uma apresentação mais potente, com disparos de bombas de alto, médio e baixo calibre e artefatos inéditos, como uma cascata de bombas douradas e brancas que acendem lentamente e formam imagens em 3D no céu. A vistoria das balsas de onde são disparados os fogos será feita amanhã.

A partir das 19h do dia 31 haverá shows com Banda de Ipanema, Marco Vivan, Djs Cat Dealers, Baby do Brasil e Gilberto Gil. Depois da queima de fogos sobem ao palco a cantora Ludmilla, o DJ Dakid, a Beija-Flor de Nilópolis e um Dj animam o público até as 4h.

Também haverá shows no Flamengo, em Guaratiba, na Ilha do Governador, na Ilha de Paquetá, em Madureira, na Penha, em Ramos e em Sepetiba, com queima de fogos à meia-noite também no Flamengo.

Reserve já

motor reservas

Newsletter

introduza os seus dados de registo| enter your registration data| entrez vos données d'inscription